ramo - escolha o quebra-cabeça para resolver

O Ramo Davidiano (em inglês, Branch Davidians ou simplesmente "The Branch") é uma seita que se originou de um cisma ocorrido em 1955 em um grupo conhecido como Adventistas Davidianos do Sétimo Dia (ou "Davidianos"), um movimento reformista começado dentro da Igreja Adventista do Sétimo Dia (os "Adventistas") por volta de 1930. A maioria daqueles que aceitaram a mensagem reformista foram desassociados (excomungados) por causa da rejeição às novas ideias dentro da liderança adventista. Desde seu início em 1930, o movimento reformista herdou certos conceitos da escatologia adventista, naquilo que eles próprios acreditavam ser um tempo no qual as profecias da Bíblia de um Juízo Final estavam para vir como prelúdio à Segunda vinda de Cristo. O nome "Ramo Davidiano" é mais conhecido pelo Cerco de Waco, ocorrido em 1993 na sede do grupo (conhecida como "Monte Carmelo" e depois renomeada "Rancho Apocalipse") nas adjacências de Waco, Texas, pelo Bureau of Alcohol, Tobacco, Firearms and Explosives, o FBI e a Guarda Nacional do Texas, que resultou nas mortes de 82 membros do Ramo Davidiano, incluindo seu líder, David Koresh, e de 4 agentes. Há controvérsia sobre o fato de David Koresh e seus seguidores representarem ou não o movimento reformista existente há mais de 60 anos na época do cerco e se eles tinham ou não o direito de usar o nome e a propriedade da igreja. Embora os seguidores estivessem em número de 140 na época do cerco, apenas 20 deles e seus filhos foram associados à igreja antes que ele, Koresh, chamasse-os para seguir seus ensinamentos e práticas únicos. Um número muito maior de pessoas dentro do grupo rejeitou suas ideias. Na época do cerco, Koresh encorajou seus seguidores a se verem eles próprios como "estudantes dos Sete Selos" em vez de "davidianos/membros do Ramo Davidiano". Durante o impasse um de seus seguidores anunciou publicamente que depois disso se queria que todos fossem "koreshianos". Outros seguidores disseram que não queriam usar o novo nome e a grande maioria da mídia continuou a usar o nome "davidiano", apesar dos protestos dos membros da outra igreja que não deixaram seus valores originais para seguir Koresh.