irrigação - escolha o quebra-cabeça para resolver

Irrigação (do termo latino irrigatione) é uma técnica utilizada na agricultura desenvolvida durante o império persa aquemênida que tem, por objetivo, o fornecimento controlado de água para as plantas em quantidade suficiente e no momento certo, assegurando a produtividade e a sobrevivência da plantação. Complementa a precipitação natural e, em certos casos, enriquece o solo com a deposição de elementos fertilizantes. Método de irrigação é a forma pela qual a água pode ser aplicada às culturas. Cada método tem um ou mais sistemas associados, pelo que a escolha do mais adequado depende de diversos fatores, como a topografia (declividade do terreno), o tipo de solo (taxa de infiltração), a cultura (sensibilidade da cultura ao molhamento) e o clima (frequência e quantidade de precipitações, temperatura e efeitos do vento). Além disso, a vazão e o volume total de água disponível durante o ciclo da cultura devem ser analisados. A eficiência de um sistema de irrigação refere-se à percentagem de água de fato absorvida pela planta. Os principais métodos são os seguintes: Escorrimento (também chamado "de gravidade") - a partir de regos ou canais, onde a água desliza, sendo, o seu excesso, recolhido por uma vala coletora; Submersão - utilizado em terrenos planos; Infiltração - Utilizando sulcos abertos entre as fileiras de plantas; Aspersão - A água cai no terreno de forma semelhante à chuva (é distribuída de modo uniforme). Pivô central de irrigação: Tomada central de água giratória com aspersores ou microjactos. Gota a gota: a água sai por pequenos gotejadores junto aos pés das plantas As plantas desenvolvem-se com água da chuva, não havendo recurso à rega. Nesse sistema, a água é levada sob pressão por tubos, até ser aplicada ao solo através de emissores diretamente sobre a zona da raiz da planta, em alta frequência e baixa intensidade.