véspera de natal - escolha o quebra-cabeça para resolver

Vigília Pascoal ou Grande Vigília, é uma celebração cristã realizada no sábado anterior ao Domingo de Páscoa, celebra-se ritualmente a ressurreição de Jesus Cristo. A vigília é tradição antiquíssima no catolicismo, considerada a "mãe de todas as vigílias", na celebração os fiéis exortam diversas passagem das leituras sagradas e do evangelho, que está adornada pelo cumprimento de todas as profecias de vinda do messias e sua ressurreição dos mortos. Na tradição católica romana, a Vigília Pascal consiste em quatro partes: Liturgia da Luz Liturgia da Palavra Liturgia Batismal Liturgia Eucarística Para os católicos a vigília inicia após o pôr-do-sol no sábado santo, o inicio da celebração se dá fora da igreja, tendo em vista que o fogo que ascenderá as velas da assembleia e o círio pascoal tende de ser abençoado pelo celebrante, é o fogo novo que simboliza o esplendor de Jesus Cristo ressuscitado dissipando as trevas do pecado e da morte. O círio pascoal será usada em todo o Tempo Pascal, tempo litúrgico seguinte permanecendo no santuário da igreja, e durante todo o ano em batismos, crismas e funerais, recorda-se desta forma a todos que Jesus Cristo é a "luz do mundo". Assim que a vela for acesa segue o antigo rito do Lucernário, em que a vela é carregada por um sacerdote ou diácono através da nave da igreja, em completa escuridão, parando-se três vezes e cantando a aclamação: "Lumen Christi" ou Luz de Cristo (em português), ao qual a assembleia responde "Deo Gratias", Graças a Deus em português. A vela prossegue através da igreja, e os presentes portam velas que são acesas a partir do fogo do círio pascal, este gesto simbólico representa a "Luz de Cristo" que se espalhando por todos, a escuridão que é diminuída. Assim que a vela foi colocada num lugar dignamente preparado no santuário, ela é incensada pelo diácono, que entoa solenemente o canto Exsultet, de tradição milenar. Ele é conhecido também como Proclamação da Páscoa, ou Pregão Pascal. Nele, a Igreja pede que as forças do céu exultem a vitória de Cristo sobre a morte, passando pela libertação do Egito e até mesmo agradecendo a Adão pelo seu pecado "indispensável", pois as consequências de tal pecado foram o motivo da vinda de Cristo. É o texto da Proclamação da Páscoa, proferido pelo celebrante ou diácono durante a liturgia da Luz em forma de cântico.